segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Amigo

"Existem pessoas nas nossas vidas que nos deixam felizes, pelo simples facto de terem cruzado o nosso caminho.

Algumas percorrem esse caminho ao nosso lado, vendo muitas luas passarem, mas outras vemos apenas entre passo e outro.

A todas elas chamamos de Amigo!

Há muitos tipos de amigos.

Talvez cada folha de uma árvore caracterize um deles.

O primeiro que nasce do broto é o amigo mãe e o amigo pai.

Mostram o que é ter vida.

Depois vem o amigo irmão, com quem dividimos o nosso espaço para que ele floresça como nós.

Passamos a conhecer toda a família de folhas, a qual respeitamos e desejamos o bem.

Mas o destino apresenta-nos outro tipo de amigos, os quais não sabíamos que iam cruzar o nosso caminho.

Muitos desses são designados amigos do peito, do coração.

São sinceros, são verdadeiros. Sabem quando não estamos bem, sabem o que nos faz feliz.

Às vezes, um desses amigos do peito estala o nosso coração e então é chamado de amigo namorado.

Esse dá brilho aos nossos olhos, música aos nossos lábios, pulos aos nossos pés.

Mas também há aqueles amigos por um tempo, talvez umas férias ou mesmo um dia ou uma hora.

Esses costumam colocar muitos sorrisos na nossa face, durante o tempo que estamos por perto.

Falando em perto, não podemos nos esquecer dos amigos distantes, que ficam nas pontas dos galhos, mas que quando o vento sopra, aparecem novamente entre uma folha e outra.

O tempo passa, o verão vai-se, o Outono aproxima-se, e perdemos algumas das nossas folhas.

Algumas nascem num outro verão e outras permanecem por muitas estações.

Mas o que nos deixa mais feliz é que as que caíram continuam por perto, continuam a aumentar a nossa raiz com alegria.

Lembranças de momentos maravilhosos enquanto cruzavam o nosso caminho.

Desejo-te, folha da minha árvore, Paz, Amor, Saúde, Sucesso, Prosperidade... Hoje e Sempre...

Simplesmente porque: cada pessoa que passa na nossa vida é única.

Sempre deixa um pouco de si e leva um pouco de nós.

Há os que levaram muito, mas não há os que não deixaram nada.

Esta é a maior responsabilidade da nossa vida e a prova evidente de que duas almas não se encontram por acaso...

Uma folha da tua árvore..."

***Dedico este lindo texto a todos os meus familiares, amigos, conhecidos, inimigos e até mesmo aos que não conheço... A todos vocês que por aqui passam ou ... não...
Este texto foi-me dado nos tempos de escola, altura que frequentava o 7º Ano, assim que o recebi e li o título, despertou-me total atenção...

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Detesto querer escrever e não conseguir,
Detesto querer voar e não poder.
Detesto querer tanto e perder!
Detesto ser quem sou ou quem tento ser por vezes detesto ir ali e não curtir o tempo gozado.
Detesto ir contigo e não me dares o devido valor.
Detesto ir contigo mais além e opinares sempre e esperar algo em troca,
Detesto quando me ignoram e tudo dizem de boca cheia detesto que me julguem, critiquem por ser quem sou e como sou.


Detesto que me digam o que devo ou não fazer!


Detesto passar por estúpida, parva ou seja o que for, porque existe pessoas que não sabem respeitar opiniões alheias.
Detesto-vos por não perceberem o quanto vos amo e não entenderem a minha forma de amar...


Detesto-te por não veres o que faço, fazemos por ti. Detesto-te por julgares e pensares saber tudo, quando na verdade nada sabes! Detesto-te por te achares demasiado quando és totalmente o contrário. Detesto-te por seres a personagem da maioria das vezes... Detesto-te simplesmente porque não gosto da tua atitude, da tua arrogância efémera, da tua mesquinha maneira de pensar e agir. Detesto-te por te achares o que não és.

No entanto, adoro-te, amo-te e ao mesmo tempo venero-te por seres quem és, por teres (poucas vezes, mas tens), essa força de vontade, esses pensamentos que julgas tão positivos, tão inocentes. Detesto-te...


Mas amo-te ao mesmo tempo e mais ainda!!!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

"Amigos são anjos que nos deixam em pé quando as nossas assas têm problemas e não se lembram de como voar...!"


PS: Mais uma vez peço imensa desculpa pela minha "ausência extravagante", ando perdida e preciso de me achar, como alguém me sugere! Beijosss boa semana***

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Apaixona-te...




Sabem como é sentirem-se apaixonados?


Eu sinceramente sei e não sei. Pois sou muito apaixonada, cada vez mais. Adoro sentir-me assim, sentir e poder voar, sonhar, saber que tudo pode acontecer, que nada é previsto e sim imprevisto, que tudo tem um sentido, mas que nem nós próprios o sabemos, “não” o controlamos, nem previmos… Adoro!


Apaixono-me com muita facilidade com muita frequência, mas tenho as minhas ideias, os meus objectivos bem definidos.


Apaixono-me com tanta facilidade como "desapaixono-me".



É gratificante sentir-me assim, o dia-a-dia, é satisfatório puder usufruir de tanta beleza inigualável, tem tanto de soberbo como de ufano. E presumindo que a palavra paixão por vezes se torna um pouco presunçoso, insolente e empertigado para uns, para outros é grandioso, majestoso, sublime e pomposo. Como quem alivia a “bexiga”.

Apaixono-me “praticamente” por tudo o que vejo, mesmo não usufruindo dela, mesmo não gostado daquela, apaixono-me! E digo mais, cada vez que tal acontece, apreendo algo volátil, algo admirável, sendo este positivo ou não, contraditório ou não, até mesmo bom ou menos bom. O que me interessa mesmo, assim como satisfaça é que arcado sempre algo útil, sendo, tendo ou não algo de agradável.


O que é certo, é que só hoje, já me apaixonei umas quatro vezes, verdade!

Logo pela manhã, apaixonei-me (mais uma vez), pela Baga, a minha Baga, é Linda e quando está “Prenha” ainda mais linda se torna! Chegando ao local de trabalho e começando a trabalhar como todos os dias, tive a gentileza de falar com uma Senhora de idade, (Idosa, como entenderem), fabulosa, duma tremenda ternura que só visto. E mais uma vez, apaixonei-me pelo seu olhar meigo e o seu sorriso contagiante e lindo, mesmo com a idade que possuía, contém uma linda faceta que mete inveja a muitos. Mais tarde, apaixonei-me novamente, mas por uma borboleta que esvoaçava no meu local de trabalho, onde pousou e foi admirada por mim. Ainda a crescer e aprender muito na sua “curta” vida. Até à data de escrever este “minucioso” texto, apaixonei-me mais uma vez, mas por algo diferente, algo que muitos apreciam, algo que felizmente é adorado e apreciado. Simplesmente me apaixonei, mas um apaixonar diferente.

Nas restantes paixões pude “mexer”, tocar, manter contacto mesmo por alguns instantes, nesta… apenas a pude aprecia-la de longe, não pude abraçar, envolver-me, reter-me em sua volta, estimar tal momento como desejava, talvez amar, mas pude admirar, analisar o “bom conteúdo”, tirar as suas medidas e julgar. Sim porque nem tudo é perfeito.

Essa paixão é vista de longe, apreciada uns segundos que perfazia-a em horas, dias, semanas.

Como é bom sentir tal sentimento, por mais remoto que possa ser. Por mais ambíguo, por mais medonho, hediondo, assustador que possa vir a ser, por mais “incorrespondido” e incompreendido que possa ser!


Como eu, acredito que muitos de vós se apaixonem com a mesma facilidade que eu, mas também creio que muitos não dêem tanto valor á paixão como deviam dar. A paixão não se refere apenas ao “AMOR”, paixão entre humanos. A paixão refere-se em muitos casos. É distinta, diversa mas singular e característica, o que a torna por vezes divergente, inconfundível, mas evidente e visível também.

A paixão é algo que todos nós devemos usufrutuar, gozar e até possuir. Pois esta torna-se educada, gentil, explicita, desigual…

Dependendo do termo “apaixonar”, é “lógico” que por vezes sofremos, sentimos algo que não é “recebido” da mesma forma, outros reprimem-na demais, por timidez, receio…
Mas sinceramente, não tenham! Seja ela que paixão for, seja por quem for, ela vai e vem. A paixão é linda de se ver, é linda de se ter, possuir, é linda de se sentir acima de tudo! É algo nutrido, que devemos desfrutar, experimentar, sentir e contemplar.
Apaixonem-se por tudo o que vos rodeia, contemplem a maravilha que o Mundo tem para nos oferecer, a todos os níveis. Apreciem o bem e o mal, sim porque cada um deles tem algo de diferente para nos oferecer, seja graúdo ou não, benéfico ou temível.
Não tendes receio da derrota, do inconfundido, da negação, frustração ou outro. Enfrenta sim, cada fracasso como uma etapa menos boa na tua vida, mas que valeu a pena passar por ela, sempre ouvi dizer: “ mais vale um pássaro na mão que dois a voar”, ou até mesmo, “ nunca arrepender daquilo que fizeste, mas sim do que não fizeste.” E sim, tento seguir este exemplo de vida. Julgo ser o melhor a fazer quando prevejo uma vitória da equipa adversária. Apesar das consequências, aprendo sempre com os erros. Se bem que também prefiro aprender com os erros dos outros que com os meus. :P
Apaixona-te a cada segundo,
Apaixona-te a cada momento,
Apaixona-te em cada instante
Apaixona-te de qualquer forma,
Apaixona-te porque te apetece,
Apaixona-te!
Apaixona-te, porque simplesmente é Lindo…
Apaixona-te, simplesmente por ser simples.
Apaixona-te!!! :P
...
Desejo uma óptima semana para todos vós e peço desculpa, mais uma vez, pela ausência, tanto neste como nos vossos blogues. Prometo em breve actualizar-me perante vós. Quanto ás Prendinhas que ganhei, serão postadas brevemente também!!!Prometo!
Beijos grandes para todos***

Desafio


A Ana ( http://lifeonwords.blogspot.com/ ) lançou-me um desafio, cá vai ele:




  1. Dizer qual o sentido que melhor me descreve: O Paladar, sem dúvida. Adorava que fosse olfacto, pois adoro cheiros, mas não.

  2. Para cada sentido, escrever a resposta para as pergunta...


  • Visão: Qual a tua imagem favorita?

Decididamente, muito difícil, pois como já devem ter reparado, tenho mais do que um só gosto pelo mesmo. Mas...Escolho o céu estrelado a meio da noite.



  • Olfacto: Qual o cheiro que te faz bem?

O do Mar, adorooo.



  • Tacto: O que mais gostas de sentir na pele?

Humm, esta...Maravilhosa! Adoro sentir um belo abraço, um beijo...Uma simples aragem, a minha Gata, o meu Patadas...



  • Audição: Qual o som que mais gostas de ouvir?

O do Mar, o da chuva... O rosnar da minha Fofa.



  • Paladar: Qual é o teu sabor favorito?

Tenho tantosss, Carameloo, Baunilha, chocolate, morango... E mais! :P


Agora tenho de passar e lançar o desafio a 5 blogues meus seguidores, que terão de:



  1. Exibir o selo;

  2. Indicar o Blog e o link de quem o passou;

  3. Responder ás questões;

  4. Passar o desafio a 5 blogues;

Aqui vai os meus massacrados:



quinta-feira, 10 de setembro de 2009


Olá meus queridos, desta vez não vou pedir desculpa pela minha ausência, pois as desculpas evitam-se e vocês já devem estar fartinhos de tantas… Enfim… O tempo é pouco e nem sempre tenho Net, assim como a possibilidade de escrever quando a tenho, (Net).
Esta semana foi de Louco mesmo, pois todos os dias ouvimos isto e aquilo de horrores, acidentes, massacres, crimes, mortes…etc.
Mas esta semana foi sem sombra de duvida horripilante, pois aconteceu com cada “coisa”, pois é, só nesta semana o “meu” Concelho Perdeu cinco vidas. Quatro delas bastante jovens e um adulto. Todos eles conhecidos.
Sei que infelizmente é o “prato do dia” estes acontecimentos macabros, mas como foram conhecidos e demasiado perto de mim, torna-se ainda mais chocante e triste só de saber. Não principalmente por mim, mas por aqueles que perderam a vida e acima de tudo os familiares que sofrem bastante com as suas perdas.
Não quero destacar a desgraça de outrem, muito menos os sentimentos e tristezas daqueles que não estão cá para partilhar e opinarem, apenas quero demonstrar um momento de solidariedade para com estes. Não que partilhe da angustia que devamos fazer depois de algo acontecer, mas sim sempre, mas uma vez que é e será sempre doloroso para os familiares e amigos, deixo estas meras palavras… Por pouco sentidas que possam parecer!

Nós só podemos dar o devido valor á situação acima, quando remete-nos a nós, ou alguém que faz parte de “nós”. Porém sabemos ser solidários mas não perceber na sua totalidade, isto falando por mim mesma claro. Contudo partilho da opinião que é desgastante, muito frustrante, triste, uma mágoa tremenda que só que passa por ela, sabe o que é, esse sentimento egoísta que teima em permanecer abundantemente e não em desaparecer…
Acredito e julgo que todos nós temos os nosso problemas, uns menos bons outros melhores, sei também que existem pessoas mais sensíveis que outras, pessoas mais frágeis, ou em situações mais constrangedoras não se cabem nelas e fazem e provocam asneiras. Contudo não vejo solução quando um Ser Humano Mata-se! Suicida-se!
Desculpem-me a minha, nem sei como dizer-vos, mas não aceito, não sou adepta de tentar suicídio e fugir face aos problemas, por piores que estes sejam. Não sou capaz! Posso também não ser capaz de enfrentar o problema no seu todo, mas daí a solução para mim ser MATAR-ME, SUICIDAR-ME…NÃO!!! Mas também vos digo, como já referi pelo menos uma vez (num texto), não uso a palavra NUNCA em vão, logo não a uso aqui, assim como não digo, “desta água não beberei”, mas desde que me lembro de pensar, ter opinião própria, sentimentos, entre outros mais… Opino contra quem pensa fazer tal coisa, opino contra quem tenta, opino e espero sempre opinar! Como também já referi, apenas aceito a eutanásia em caso extremo.
Acredito que estejamos cá com um fundamento, por mais difícil que seja aceita-lo e descobri-lo. Acredito que todos nós temos direito há vida e não aceito quando “tira-nos” a vida assim sem mais nem menos.
Não aceito muita coisa, principalmente a Morte, mas respeito-a!
Como já devem ter reparado, sou uma Revoltada, verdade e ultimamente ando ainda mais, é descabido para a minha pessoa aceitar certas coisas. Temas que dão pano para mangas…

Desde já quero desejar-vos um resto de boa semana*** Coloquei esta foto, exactamente por ser escura, uma vez que para mim remete a Morte.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Olá minha gente, desculpem a demora mais uma vez. Também só cá venho dizer-vos que este fds vou estar ausente, para variar um pouco :P, tenho um casamento duma Grande amiga minha e que espero poder ir, supostamente, caso não aconteça nada, pois posso dizer que NUNCA sei o dia de amanha. Mas estou a ver o caso mal parado, não que adoro casamentos, mas é pela pessoa que é, o casal em questão. Filipinha, se veres esta mensagem, por favor contacta-me para o 96, perdi o teu contacto e não vejo maneira de falar ctg...Sorry... Desde já quero desejar-vos a todos um resto de boa semana.***

Verdade, esta para breve o Avante, aproveitem e divirtam-se***

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Prendinha e Miminho da I´m a Lady


As regras são:



  1. Dizer:


  • Quem mais gostas de abraçar, no presente: Humm, muita gente, uma delas a minha mamã, avó Materna e os meus queridos amigos... Namoradooo.



  • Quem nunca abraçarias: Bem, não sei se devia dizê-lo ou não, mas de certo vou dizê-lo, até porque NUNCA abraçaria tal personagem, Hitler! (Sorry)



  • A quem davas tudo para poder abraçar : Mais do que uma pessoa decerto.



  • A quem davas o teu melhor abraço: Mamyy e avó Materna :P

2. Passar o desafio a 6 Blogues, que são:



(http://secretodiariode.blogspot.com/ ) - Mafii


(http://petaculo.blogspot.com/) - Whow


(http://solerspot.blogspot.com/) - André Soler

(http://apontamento-bernardo.blogspot.com/) - Bernardo

(http://asminhaspequenascoisas.blogspot.com/) - S*

(http://chizendo.blogspot.com/) Chizendo

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Digito sem pensar...Será?!



Penso! E muito!


Apenas não sei se o certo ou errado. Se o correcto ou incorrecto. Depravado ou demasiado sério.

“Penso, logo existo.” Assim como, penso, logo questiono-me!

Ando incondicionalmente emocionada. Possuo a mesma quantidade de alegria como de tristeza, de arrogância como de simpatia, de desespero por algo como euforia, como abundância explosiva de festejos como de lágrimas… Partilho um sorriso invejável como partilho a vida sexual em bruto. (Ahahahah)

Melancólica ou alcoolizada envio diversos desejos incalculáveis. Se pudesse usufruir de algo escolheria a matemática para apenas somar e multiplicar todos os meus desejos agradáveis.

Prescindir de todos os meus pecados extremos, angustias tremendas e pudores enfadonhos, deixando de parte todos os escárnios e maldizeres.

Arrancaria tudo ou nada que detesto em mim, esculpiria uma só escultura de recordação, contabilizava todos os momentos guardando-os numa arca metálica, não fechada a 7chaves, mas sim, como algo impossível e proibido de se abrir…

Memorizava ao mesmo tempo que observava, algo superior a mim, registado como máquina fotográfica e aguardando como se necessário para mais tarde.

Escreveria como escrevo de momento sem pensar no que digo, no que penso e muito mais no que digito. Sem tempo verbal, sem regras, sem infracções, sem julgamentos e oposições.

Apenas escreveria como quem regista momentos bons, inesquecíveis e a não perder.

Anseio por esse dia, por poder escrever sobre tudo sem qualquer tabu, anseio o inevitável e o facto de usufruir das belas variadas objectivas ao fotografar sem qualquer pudor e fingimento.

Sim, porque quando faço ambas as coisas sinto como… Como que um pássaro a voar, um golfinho a saltar de extrema alegria, como uma criança que brinca no Parque… Sinto liberdade, inspiração e Feliz!!! Porque posso mostrar ao Mundo o que se passa, o que em redor muito de nós não vê, não sabe… A não ser por uma mera imagem, um vídeo…Ou até mesmo por palavras. Mas nunca é o mesmo, sendo nós a faze-lo!


Fazia o que não fiz, faria o que não faço, farei o que não é suposto fazer. Irei mais além, onde ninguém me espera ver, onde ninguém julga que eu chegue, não por ser extrema, delgada, pequena ou até mesmo de mau feitio...Mas sim por muitas outras coisas.


Não espero que tenham orgulho, se sintam felizes, me dêem força, me encorajem a ir em frente, mais alem… Muito pelo contrário, espero negativismo, inveja, repugnância. Mas querem que vos diga?! Não estou nem ai para o que julgam ou deixam de pensar. Apenas sei o que quero, desejo e o que vou fazer. Melhor, vou Lutar pelo que quero!
Posso não concretizar, mas ao menos não me arrependerei de ter tentado, de ter Lutado, de não ter desistido…


E por isso, apenas por isso, já serei Feliz!
Mas só por isso…


(Atenção, nem tudo o que se diz, escreve é verdadeiramente sentido, por vezes não se pode fazer caso...)


Um resto de boa semana***


quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Olá ppl.
"Hoje voltamos a reabrir a reabrir a suposta Pastelaria... É verdade!
E querem saber mais?! Não temos qualquer problema, se alguém o vai ter é a tal fulana, sim, porque se ela for avante, ela terá de reabrir o Processo, pagar este, mais o advogado e não fica por aqui. Pois bem. Com tudo isto, digo e acho que quase de certeza que irá desistir. Caso não aconteça, estarei cá para enfrentar. E não irá ficar em cima! Como não tenho novidades e mais uma vez, palavras não saem, deixo "beliscos"...Boa semana***

domingo, 9 de agosto de 2009

Existe pessoas para tudo...



"Sabem... Nem sei como começar um texto na maioria das vezes... Assim como muitas outras coisas!




Hoje de facto o dia, melhor a manhã, foi um escândalo total. Pois bem, para começar, ontem era para ter ido ver Faith No More ao SW e acabei por não ir, pois iria chegar cá de madrugada e extremamente cansada. Sim, porque hoje supostamente teria de levantar cedo, coisa que acabou por não acontecer, atrasei-me um pouco. Isto porque deixei-me dormir, o que não é habitual.


Porém, continuei o dia, a meio da manhã no trabalho "actual", (de momento estou também a ajudar a minha mãe numa Pastelaria. Pois emprego e trabalho na área de Fotojornalismo não está nada famoso), quando faltou uns ingredientes, Nada demais até aí. Fui busca-los e na vinda deparei-me com uma senhora e o seu suposto rebento, devia ter entre os 5/6anos. Desde que entrei e topei-a a olhar semicerrada e frontalmente para mim que achei estranho a sua maneira de ser, vinda não sei de onde. Até que apanhei a conversa a meio da minha mãe e dela... Pois bem, esta estava a tentar decidir-se que tipo de torrada queria/desejava... Lá decidiu que queria em pão caseiro porque os outros, segundo a cara, não lhe serviam! "Acabada" a torrada, foi entregue à fulana, (desculpem-me a frontalidade do nome, mas quando chegar ao final irão compreender, não desejo a ninguém), pela mão da minha mãe onde também levou uma tosta mista para o miúdo. Estes estavam "instalados" na esplanada logo não se sabia coisa alguma sobre comentários ou seja lá o que fosse. Nisto entra-me, mais uma vez, a fulana pela porta dentro e pede duas garrafas de leite com chocolate, assim teve. Dentro de poucos minutos volta-me ela e começa a espigardar para a minha mãe e eu claro meto o bedelho. Isto tudo porque segundo ela a torrada estava muito queimada. Deixem-me dizer-vos esta nem morena estava, a sério! Mais, a torrada estava demasiado dura, não conseguia mastigar porque tinha aparelho. Opahh a sério, eu também já usei aparelho, sei que é doloroso, mas não implica o espalhafato que esta fulana fez, imaginem só que exigiu o livro de reclamações, até ai tolero, mas o resto não... Pediu o livro de reclamações, a minha mãe demasiado simpática disse-lhe em bom som e bons modos que não tinha este, pois abriu o estabelecimento á relativamente pouco tempo (vai fazer 3meses e já deveria ter vindo), já pediu e pagou, mas este ainda não chegou. com isto a mulher exalta-se ainda mais, pede a conta, depois de ter o recibo, resolve que não quer pagar a conta. Fartou-se de insultar-nos, também não fiquei atrás... Nisto tudo, entramos num estado de nervos que só visto e por momentos a fulana desaparece, (Sei que não agi da melhor forma, mas quem não perde as estribeiras no seu estado de nervos, ainda para mais quando nos atacam frontalmente e verbalmente.) Pensamos nós, desistiu e não pagou mesmo a conta, P*** de M****!


Pois bem, eis que ela volta e acompanhada, foi á esquadra buscar a Policia! Pois é! Vejam só!


Um dos Policias vira-se para mim e perguntou-me quem era o proprietário e designei-me a responder-lhe que era o meu pai, mas que de momento não estava no local. Visto isto pediu-me todos os documentos e pesquisou se estava tudo em ordem. (Rapidamente liguei ao meu pai a pedir-lhe que se desloca-se á Pastelaria porque tínhamos uma reclamação e a Policia no estabelecimento.)


Pois deixem-me dizer-vos, o policia, ele nem parecia saber o que pedirá, apenas sabia o que era necessário pelo nome, (digo isto pela documentação que tinha na sua frente e dizer-me que não a tinha, assim como dizer que a as datas dos documentos estavam passadas dos respectivos prazos. Pois entreguei os devidos documentos, alguns deles afixados na janela da entrada. Ahhh verdade, o livro de reclamações, como já foi mencionado ainda não chegou... Logo não pude entregá-lo.


Preencheram a papelada, com a devida denúncia, da reclamação da suposta cliente e pediram-me que fosse mostrar a documentação que faltava, (os respectivos comprovativos da compra do livro de reclamações, que estava num outro recinto). Assim o farei, pois averiguaram que estava tudo em ordem e nada podiam fazer quanto ao que ela desejará.


Nisto ela percebeu que nada ia para além de... Revolta-se com os policias e diz-lhes que se soubesse que nada iriam fazer não os tinha chamado...


Pois bem, isto não vai ficar por aqui, uma reclamação desta não é feita todos os dias, agora vamos aguardar muita coisa e provavelmente, a minha mãe não irá poder abrir a Pastelaria nos próximos dias enquanto isto não terminar. A fulana foi inteligente na maneira de agir, mas estupidamente ignorante no acto. Quando digo isto, é que ela acabou por pagar a conta ao meu pai quando este apareceu, mas não ficar mal vista pelos superiores e perante o dono. Pois o meu pai, "rebaixou-se" e pediu-lhe desculpa! Falou comigo e com a minha mãe, para agirmos da mesma forma, pois ele, sendo o dono iria ficar muito prejudicado por aquela reclamação.


E eu disse-lhe, posso pedir-lhe desculpa de boa vontade (e seria), desde que ela também mo pedisse! Já a minha mãe, recusou-se, pois a anormal da fulana foi tão mal educada com a minha mãe que ela ficou mesmo sentida!


Agora resta-me ver o que se segue..."




PS: Como ando sem expiração alguma, como já devem ter reparado, escrevo episódios do dia-a-dia... Para evitar estar tanto tempo sem escrever. E assim, desabafo com os meus queridos seguidores. A foto acima, é o que fulanos/as como esta que aqui foi nomeada, significam para mim. Mais uma vez, peço desculpa pela minha frontalidade radical.




Esqueci-me a contar-vos! No passado dia 5 Agosto, na 4ª Feira, acabei por ir ao Rock One, em Portimão.
Fui assistir ao concerto dos Linkin Park, mais uma vez, espectácular como sempre!
Wuiiiii... Bom resto de fds***
Desculpem os erros...escrever depressa e fora de mim, acontece.

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Este miminho foi-me dado por duas meninas... Pela Asiram e pela Lia.
Obrigada a ambas minhas queridas***

Pois bem, vou colocar as regras segundo o selinho/miminho...


- Exibir a imagem, (Já está);
- Postar o link de quem mo passou;
*Asiram (http://pelanetaloukodoido.blogspot.com/);
*Lia* (http://se-podes-ver-repara.blogspot.com/);
- Por fim, passa-lo a 8 lindos blogues e avisar os respectivos do miminho;

* http://eu-perdida.blogspot.com/ (perdida);
* http://cronicasdeumbomrebelde.blogspot.com/ (André);
* http://deontemparaamanha.blogspot.com/ (Hyndra);
* http://lookihlookih.blogspot.com/ (Lady Me);
* http://marnogu.blogspot.com/ (Mar);
* http://asminhaspequenascoisas.blogspot.com/ (S*);
*http://balaseborboletas.blogspot.com/ (_Purple Wings_ );
* http://lifeonwords.blogspot.com/ (Ana);

Escolhi estes 8 maravilhosos blogues, pela sua escrita extraordinária e maneira de levar as coisas através desta***

Espero que o verão também esteja a ser uma frescura tal como este miminho, assim como a vida a sorrir!!!***



segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Coisas


A sério, já não sei se serei eu ou ele?! Ou ela?! Ou até mesmo eu! Apenas não sei e gostaria imenso, muito de saber!!!
Hoje até estou naqueles dias, razoáveis, óptimos até...Mas quando estou com a "tal" personagem... Epah, a sério, tira-me do sério! E eu a ele provavelmente. Como é possível sermos do mesmo sangue, como é possível sermos tão iguais e tão diferentes. Como?!?!
Como tenho saudades dos dias distantes dele,
Como tenho saudades dos dias em que ouvia a sua voz ao telemóvel e me pedia para ir ao Algarve passar o fds consigo.
Como... Como tenho saudades de ser criança, de ser inocente... Mas até ai chocávamos e não era pouco.
Mas ai, não resmungava, não respondia. Por respeito, por medo, seja lá o que for.
Agora, ainda... Existe respeito, medo não diria!
Cada vez mais angústia, mais tristeza ronda esta casa tenebrosa, melindrada.
Vivo, vive-se no meio de "lama", onde queremos andar e custa-se a levantar o pé do chão, onde quero correr e dou por mim caída em pleno chão, onde quero sentar-me e dou por mim deitada, suja como quem chora, como que quer chorar e secou totalmente.
Olho em volta e reparo que provavelmente e supostamente não serei a única. Em meu redor, ainda existe mais três iguais a mim, a sofrerem de maneiras diferentes, a pensarem e julgarem de maneiras opostas.
Pergunto-me, como sempre fiz e talvez faça, serei eu ou serão eles? E qual?
Questiono-me sobre muita coisa, como já devem ter reparado, talvez por isso, duvida da minha própria existência, (atenção, quando digo isto, refiro-me propriamente, ao que fazemos "aqui", para que servimos nós... Muito questiono eu, correctamente ou estupidamente).
Já não sei o que fazer, o que pensar, o que julgar, (por pouco que o faça ou por muito que o detesta, ainda julgo ou coloco em questão, infelizmente, digo eu), o que dizer, o que propor... Até mesmo eles, acredito!
Por vezes, torno-me demasiado"egoísta", "Ego", séptica, (coisa que julgo não ser, mas ao pensar já estou a ser!), ao pensar que deveria largar tudo para o alto, (que "basicamente" é nada mais que eles, desculpem a directa, mas nem sempre é assim), outras vezes torno-me demasiado recta, julgando-me humanista e agindo como devo agir, ficar por cá e seguir em frente, ou seja, vivendo neste inferno que é todos os dias e esquecendo o mal que nos prejudica. Pensado que, se realmente for, alguém irá precisar de mim, alguém sentirá a minha falta. E isso sem dúvida que acontecerá, mas também penso, que se assim continuar a pensar desta forma, não alcançarei o que anseio, o que desejo…
Resta-me apenas tolerar, aguardar pela minha vez, vivendo o dia-a-dia, cada um por si mesmo…Quanto a mim mesmo, a minha capacidade de agir e repor-me será fortalecer-me, enraizar-me onde quer que seja e possa.
Todavia, não será nada fácil, pois todos os dias que passam são uma etapa constante, são um objectivo que se torna um tanto ilimitado de alcançar, porém, resta-me sempre esperança, por mínima que seja, por mais desaparecida que possa parecer, por mais que tente desistir, NUNCA ela desistira.
I Believe! I wish!


Palavras de uma mera e simples rapariga, contudo sabe bem o que quer e deseja. Por isso eu acredito e desejo...

domingo, 26 de julho de 2009


Miminho da Lady Me! (Obrigadaa! ***)

Agora as regras:

- Exibir a imagem do selo (já está);
- Postar o link de quem mo passou, novamente, a Lady Me, (http://lookihlookih.blogspot.com/); - Passar o desafio a 8 blogues e avisá-los, e então os escolhidos são:
Ps: Mais uma vez e novamente, peço desculpa pela minha ignorância, mas ainda não foi desta que consegui concretamente e correctamente "postar" os links como deve ser :S :(

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Este Selinho foi-me dado pela Hyndra (http://deontemparaamanha.blogspot.com/). Vou-vos ser muito sincera, é o segundo selo que ganho e não sei como colocar de lado, o primeiro foi-me dado pela perdida (http://eu-perdida.blogspot.com/ )... Peço desculpa mas nem postei, visto ter sido um desafio e na altura não me dava muito jeito :S.
Quanto a este selo, também proporciona um desafio, então vou tentar "concretiza-lo"...

- Divulgar o link do CupCakeAndRocknRoll;
-Dizer qual o meu doce predilecto: Humm difícil esta, tenho vários, entre eles Chocolate, Doce de Ovos e Coco... Adorooo!
- Dizer qual a minha música predilecta: Tenho várias também, vou infringir as regras e vou dizer uma banda, sorry... Linkin Park... Eheheh
-Indicar o selo para 4 seguidores do meu blog:

E aqui vão quatro doces seguidores:

* http://lookihlookih.blogspot.com/
*http://eu-perdida.blogspot.com/
*http://asminhaspequenascoisas.blogspot.com/
*http://cronicasdeumbomrebelde.blogspot.com/

PS: Mais uma vez peço desculpa pela minha ignorância... E colocar os links. Ahahah
Escolhi este quatro porque adoro a maneira como escrevem... Como é óbvio tenho mais, mas apenas tenho de seleccionar 4. Beijos p todos e bom FDS***

terça-feira, 21 de julho de 2009

“Bem… Finalmente escrevo o “bendito texto”, sobre um tema / assunto um tanto questionável no dia-a-dia, a meu ver.
Não trabalho directamente no ramo, nem sou muito entendida no assunto que vou abordar, pesquisei, mas não o suficiente, pelo menos para mim e para expor as dúvidas. Mas como prometi escrever no tal dia e tal não aconteceu por motivos de trabalho, então vai já com os conteúdos que possuo.

O que pretendo e vou tentar abordar e ao mesmo tempo questionar, é se existe uma verdade ou várias verdades?! E / Ou se existe mesmo alguma verdade?!

Tal dúvida, dúvidas, já vêem de algum tempo atrás, contudo, muito recentemente ao ler um novo livro, (que esta por terminar), voltam-se as tais dúvidas constantemente. Pois o que me leva a questionar sem pensar, a ponderar sem julgar e até mesmo e relativamente á nossa existência, nós mesmos. (Não se assustem, apenas quero partilhar convosco esta minha, melhor, esta imensidão inquestionável que ronda o meu pensamento, faz muito tempo e o de muitos, creio).
Não vou compartilhar o nome do livro, porque não acho “justo”, visto não ser o único a abordar e a falar de tal “acontecimento”, tema. Perdoem-me!

No entanto tentei questionar várias pessoas sobre este mesmo assunto e como é natural claro, (digo eu), não souberam responder-me concretamente também. Atenção, questionei pessoas de senso comum e não entendidos no assunto. A verdade, é que muitos deles também se questionam no seu dia-a-dia e outros que não faziam tal, fizeram-no na altura, ou colocaram em questão. Se formos ver, nem tudo é o que parece.

Segundo o “Livro”, “Não existe uma verdade, mas várias verdades”, minto, não propriamente o livro, mas segundo filósofos abordados. Tais como o Michel Foucault, relativamente á primeira afirmação e Karl Popper quanto á segunda afirmação. Onde este afirma que “Não há nada que seja definitivamente verdadeiro, apenas coisas que são definitivamente falsas e outras provisoriamente verdadeiras.”

Pois então digam-me! Não existe aqui uma contradição?! Na primeira, supostamente existe várias verdades, porém na segunda, diz não existir verdade no seu total, mas apenas verdade provisória. Ou seja, O Filósofo Michel Foucault, foi fortemente influenciado pela descoberta e defensor de que “Não existe uma verdade, mas várias verdades.” Isto, é a consequência lógica da descoberta de Immanuel Kant. Pois, se nós não podemos aceder ao real, porque ele é inatingível pelos nossos sentidos, sendo reconstruído através dos nossos limitados mecanismos cognitivos, então não conseguimos aceder á verdade. Se não conseguimos chegar ao real, não conseguimos chegar à verdade. Julgo que isto seja lógico.

No entanto, Immanuel Kant observou que o Homem não tem acesso ao real em si, à realidade ontológica das coisas, mas apenas a representações do real. Nós não conhecemos a natureza dos objectos em si mesmos, apenas o modo como os percebemos, modo esse que nos é peculiar. Por exemplo, um homem percepciona o mundo de uma maneira diferente dos morcegos. Os homens captam imagens, os morcegos registam ecos sonares. Os homens vêem cores, os cães olham preto e branco. Os homens captam imagens, as cobras sentem temperaturas. Nenhuma forma é mais verdadeira do que a outra. São todas diferentes. Nenhuma capta o real em si e todos apreendem diferentes representações do real.

Do real apenas vemos as sombras, nunca o próprio real. Se o real é inatingível devido aos limites da nossa percepção, isso significa que somos nós que construímos a nossa imagem do real. Essa imagem não emana exclusivamente do real em si, mas também dos nossos peculiares mecanismos cognitivos. Ou seja, daí que os desconstrucionistas franceses digam que não há nada fora do contexto.

Agora, mais uma vez, digam-me como é que se pode dizer que não há uma verdade? Não será isso um pouco elaborado de mais?

Estou a olhar para este blog e digo que este é preto de fundo, não estou a falar a verdade?

Mas isto já remete e é um problema de fenomenologia, no rescaldo da “Crítica da Razão Pura”, que teve de resolver. Daí que tenha havido necessidade de redefinir a palavra verdade. Edmund Husserl, um dos pais da fenomenologia, dedicou a sua atenção a essa questão e constatou que os juízos não têm nenhum sentido objectivo, apenas uma verdade subjectiva, e estabeleceu uma separação entre a conexão das coisas, ou nómenos, e a conexão das verdades, ou fenómenos. Ou seja, a verdade não é a coisa objectiva, embora com ela esteja relacionada, mas a representação subjectiva da coisa em si. Martin Heidegger retomou esta ideia e observou que a verdade é o assemelhar-se da coisa ao conhecimento, mas também o assemelhar-se do conhecimento à coisa, uma vez que a essência da verdade é a verdade da essência.

Mais uma vez e no entanto, estou a ver o mar e constato que é azul, uma verdade objectiva, (Pensamos nós). Mas se estudarmos o fenómeno das cores, verificar-se-á que elas de alguma forma são uma ilusão. O céu e o mar parecem-nos azuis devido à maneira como a luz solar incide sobre a Terra. Quando a luz do sol é oriunda de um ponto perto do horizonte, o céu pode tornar-se avermelhado devido a uma alteração na distribuição da banda de cores dos raios solares. O céu é o mesmo, a banda de cores de espectro de luz é que se alterou por causa da nova posição do Sol. Isso demonstra que o mar não é azul, são os nossos olhos que, devido às suas características cognitivas e em função da distribuição da luz, o captam assim. No fundo, é esse o problema da verdade. Como sei que os meus sentidos podem enganar-me, que o meu raciocínio pode conduzir-me a conclusões falsas, que a minha memória pode pregar-me partidas, não tenho acesso ao real em si, nunca serei dono da verdade objectiva, da verdade definitiva, final. Pois, nós olhamos o mar e vê-se azul, um cão olha para o mar e, como é daltónico, vê-o cinzento. Nenhum dos dois tem acesso ao real em si, apenas a uma visão do real. Nenhum dos dois é dono da verdade objectiva, mas só de algo menos categórico. A verdade Subjectiva.

Será que me fiz entender?! Nem eu mesma ainda tenho a certeza do que acabei de escrever, mas o que é certo é que a maioria dos filósofos defendem tal “atitude”.

Mais uma vez, o que Michel Foucault fez, foi demonstrar que as verdades dependiam dos pressupostos da época em que foram enunciadas. Trabalhando quase como um historiador, chegou à conclusão de que saber e poder se encontram tão intrinsecamente ligados que se transformam em saber/poder, são quase as duas faces da mesma moeda.

Este concluiu que o poder estava por trás de tudo e dedicou-se à missão de analisar a forma como o poder se exerce através do conhecimento, usando o saber para estabelecer controlo social. A tal aliança saber/poder. Porém num outro texto mais kantiano de Michel Foucault, aquele onde as palavras são a manifestação do real e as coisas o próprio real. De alguma forma este livro contribui para destruir a noção absoluta da verdade. Pois, se o nosso modo de pensar é sempre determinado pelos pressupostos e preconceitos da nossa época, então não é possível chegar à verdade objectiva. A verdade torna-se relativa, dependendo do modo como as coisas são vistas. Por isso Michel Foucault é considerado um seguidor de Immanuel Kant.

Michel Foucault definiu aí a verdade como sendo uma construção, um produto do conhecimento de cada época, e estendeu essa visão a outros conceitos. Ou seja, o autor não passa do produto do seu material e das suas circunstâncias. E ao escalpelizar assim o conceito, ele está a desconstruí-lo, mais uma vez é um contexto.

Com isto tudo fico na dúvida ainda, será mesmo que existe uma verdade, várias verdades ou nenhuma verdade? A meu ver, acredito e creio, melhor quero acreditar que existe alguma verdade nas coisas, em nós. Por outro lado tem um pouco da sua lógica, não existir verdade em tudo, se bem que hoje em dia, muitas das coisas estão cientificamente comprovadas/provadas, o que prova, (atenção, digo eu segundo alguns testemunhos), que existe mesmo uma verdade, por mínima que seja ela. ”

(Espero que tenham gostado, mas no mínimo entendido alguma coisa… :P PS: desculpem o tamanho e o conteúdo do texto.)

domingo, 12 de julho de 2009

Eii pessoal. Tudo? Não desesperem, mas ainda não será hoje que vou escrever o tal texto, hoje, será uma outra coisa. Isto se conseguir "transportar" as palavras certas, os sentimentos correctos, as ideias concretas...

Imaginem, mas imaginem mesmo, estou bastante indecisa quanto a "uma ideia", não será realmente como vos vou contar, (desculpem-me, mas ainda me "custa" fazer essa "dramatização",logo uso exemplos ou ideias parecidas), será, é um episódio que estou a passar de momento, (que se tem prolongado bastante, meses, o que me deixa bastante indignada)!

Tenho uma vontade enorme de partir, voar, talvez "fugir"... Mas algo me impede, melhor dizendo, "alguém" me impede. Não um impedir de proibição, mas um impedir, nem sei como dizê-lo correctamente. Sentimentos, tais como de amor, ternura, "paternal"...

Tenho propostas, não as que realmente desejo, mas tenho. E prefiro te-las, a não te-las! Não sei se será a escolha certa a fazer ou não, voar! Mas o que é certo, é que desisti á muito, perdi as esperanças, mas "rapidamente" voltei a possui-las, não da maneira que anseio, que desejava, pois agora devido a essa "desistência", a essa "derrota", tornei-me mais... Mais fria, distante, contraditória, revoltada, duplamente revoltada, não diria totalmente pessimista, mas para lá parto, o que não me agrada nada a ideia... Pelo contrario, tornei-me mais objectiva, julgo saber com mais aptidão, dar o devido valor ao que realmente interessa, principalmente aos que me rodeiam. Não desisti por ser quem era, desisti por amar, de amar incorrectamente, (Se bem que, acho eu, quando se trata de família, NUNCA é IncorreCtamentE, pois NÃO?! )
Já lá vai o tempo em que deixei tudo para trás, em que desisti do que tinha, por vontade própria de terceiros, coisa que dificilmente irei voltar a fazer! (Pessoal, NUNCA desistam, seja do que for, mesmo que por vezes achem que não vale a pena, mesmo que por vezes, julguem ser o mais correcto, mesmo que não seja aquilo que deviam fazer! Não fala a voz da experiência, mas fala quem passou por isso!)
Na altura, dei os parabéns a uma Grande Amiga, por realizar um dos seus sonhos, mesmo com tudo e todos contra, si, é verdade! E ela, a mim! Eu por enfrentar os Problemas, que directamente não seriam, não são "meus", (Mas na minha opinião, quando se trata de família e amigos, tudo é "nosso"!), e ela por fugir deles. Segundo palavras dela. Hoje, continua a achar extraordinário a capacidade e a coragem dela, não teve teve coragem para enfrentar directamente, mas fé-lo, teve-o de uma outra forma. E por vezes, é a melhor atitude a tomar.
Continuando, eis a minha duvida, tomo, comento novamente o mesmo erro duas vezes consecutivas, ou vou avante como QUERO?!
Como é óbvio, terá as suas vantagens e desvantagens. Mas julgo ser a melhor atitude a tomar, mas também julgo, que essa apenas será para mim, o que torna um acto egoísta da minha parte. Daí a minha grande duvida...
Posso ou não voar? Devo ou não tentar partir? Será a atitude mais correcta a tomar de momento, após um "terramoto"?
Hummm... Vou pensar, reflectir... E tentar tomar a atitude acertada, mesmo que crie conflitos.


(Quanto ao texto que "prometi" no anterior post, vou tentar fazê-lo amanha, arranjar um tempinho e colocar as ideias em ordem...
É verdade, gostaria também de saber, se alguém já leu o "bendito" livro que vos falei? Lembram-se?!)

terça-feira, 7 de julho de 2009

Olá meus queridos "leitores"... :P
Peço desculpa por esta minha grande ausência, esta ruptura imensa! Mas de facto, julgo que ando meio deslocada, como se estivesse desmembranada, (nem sei se a palavra existe ou se é assim que se escreve). Mas julgo que me estão a entender.
Para além do trabalho árduo e o dobro de full-time, estou sem cabeça para pensar e ponderar acerca de algo.
Mas tenho em mente, melhor, estou a escrever algo, mas estou a tentar perceber, apreender e pesquisar um pouco mais sobre o assunto. Para além destes, já escrevi outros mais, mas que de momento acho sem interesse algo, ainda pra mais quando retrata algo minucioso. Continuando.
Contudo, agradeço-vos por tudo. Mais uma vez, peço desculpa, não só pela minha ausência aqui, mas nos restantes blogues que sigo... Um beijo muito grande para todos vós***

domingo, 28 de junho de 2009

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Nem imaginam, como é possível revoltarmo-nos tão facilmente, não é do meu tipo escrever/fazer textos deste género, mas uma vez que não ando com muita inspiração e aconteceu algo que para mim transcende-me, vou desabafar convosco.
Hoje que acabei por sair relativamente cedo, mais que o habitual do trabalho, resolvi ir ao shoping, sim fazer umas compras, ver umas lojas, etc...
Como é quase habitual, vou sempre comer um "crepe", não daqueles que desejava mesmo, enfim... Nisto que peço o crepe e apenas digo: "Será possível acrescentar mais um pouco?" (Sim, porque eu paguei por ele e vinha "nu" e a resposta da senhora/empregada : " Se acrescentar um pouco mais tem de pagar!" Uaiii caiu-me tudo ao chão, sim porque era recheado com doce e este não tinha nada, sabe uma sandes com muita pouca manteiga? Assim era o crepe. E supostamente eu paguei um crepe com doce e não com muito pouco doce! Pedi então uma explicação, sim revoltei-me, para variar...ahahah ando muito revoltada, com tudo e com todos! Não é que tive de pagar mais um euro para ter um pouco mais de doce?! E ainda por cima deu-me o crepe incompleto, faltava as amêndoas... Não se admite, isto sinceramente... Existe descaramento para tudo hoje em dia, infelizmente.
Será que este Mundo vai mais além disto ou iremos ficar parados no tempo?! Sem falta de civismo, com muita hipocrisia, ironia e maldade, falta de bom senso entre outros...

Com tudo isto, comi o "sacrificado" crepe, quer dizer, comi pouco mais de metade... Fiquei sem vontade de o comer todo, só de pensar como existe gente tão mesquinha, eu sei que ela estava a fazer o trabalho dela, mas não é a primeira vez que lá vou e sim, foi a primeira vez que me pediram um extra de dinheiro por um crepe mal servido!
De facto, eu nem sei se agi da maneira mais correcta ao chamar a atenção pelo simples facto, mas é, foi a minha opinião na altura e agora, por isso fiz o que achei que devia ter feito, talvez não da forma mais correcta...Mas já esta feito.

domingo, 21 de junho de 2009

A vida nem sempre é justa.

De facto, o que me fez escrever este testemunho, foram vários motivos.

Não é fácil sermos nós mesmos em certas alturas, mas pior ainda, na minha opinião, é tentar ser ou colocar-se na pele de alguém!
Tenho uma amiga, amiga essa que tem um irmãozinho mais novo e este tem problemas de saúde, alguns deles, bastante problemáticos. Problemas esses, que por vezes não são nada de fácil aceitação, principalmente da parte do próprio doente, o que é o caso e muito menos quando a taxa de cura é demasiado baixa.
Tudo foi descoberto há uns anos atrás, quando este começou a ter perdas de visibilidade. Até ao extremo de “perder” a visão por escassos segundos, várias vezes por dia.
Como o acontecer destes “fenómenos”, começaram os “acidentes automóveis”, com tudo isto lá se decidiu a ir ao oftalmologista. O doutor assim que começou a observa-lo, mandou-o de imediato e com urgência para o Hospital. Neste, começaram-lhe a fazer exames, onde detectaram que o rapaz “possuía” um “líquido venenoso” no seu corpo. Esse suposto líquido, começou a alastrar e a provocar demasiados estragos e rupturas no seu organismo e órgãos.
Todavia, ainda não sabiam ao certo o que tinha o rapaz, apenas suspeitas. Como a perda de visão poderia ter sido provocada pelo tal líquido, líquido esse que veio de uma picada de um Ouriço do Mar, (este na altura praticava Surf). Até hoje ainda permanece a dúvida, se realmente foi o causador de tal causa e ao mesmo tempo, devido a este, detectou-se o que na realidade o rapaz tinha, (mas nada em concreto…). Vários problemas de saúde, entre eles, uma deficiência nos rins, insuficiência renal.
Começou por fazer o tratamento, hemodiálise, todos os dias, enquanto dormia, supostamente. Era raro a noite em que não passava mal, com vómitos, dores de cabeça, desmaios, entre outros. De cada vez que fazia o tratamento, ou seja, por noite, chegava a juntar entre duas a três almofadas bem cheias de líquido, ( líquido que era, é sugado do seu corpo/organismo), esse líquido é amarelado, um tanto viscoso e asqueroso. Havia dias em que ele mal se levantava da cama, de tão incapacitado que se sentia e sem forças.
Sei que essa minha amiga, para além do irmão, ela também mal dormia. Com a chegada dos exames, (na altura), e as noites mal passadas com o irmão, a fazer-lhe companhia. Lembro-me que houve alturas em que ele estava hospitalizado e ela, assim que saia das aulas, na sua hora de almoço ou até mesmo nos furos, aproveitava para ir visita-lo ao hospital e fazer-lhe companhia.
Apesar de estar prestes a entrar na Faculdade na altura, a realizar o seu “sonho”, colocou de lado esse objectivo, esse sonho, para poder auxiliar, ajudar e acompanhar o irmão neste processo doloroso.
Ela não chegou a entrar na faculdade nesse ano, apenas entrou no seguinte. Não no curso que desejava, porque baixou a média. Hoje, já formada, faz dois anos que terminou, mas não trabalha na área, ainda não desistiu de tirar o tão desejado curso e o Mestrado do curso que já tem. Ela tem objectivos e sonhos como qualquer um de nós, na maioria das vezes, não consegue o que quer, infelizmente, mas não é por isso que pretende e desiste!
O irmão, ainda continua doente, a fazer tratamentos para os vários problemas e também esta em lista de espera para um transplante, pois não quer aceitar o facto de a irmã ser a sua dadora. Como ele diz, não a quer prejudicar. Ele é bastante inconstante e imaturo para a idade que tem. Não terminou o curso na Faculdade e de momento trabalha, mas Nunca está satisfeito como esta ou com o que tem, quer sempre mais e mais. Esquece-se que o facto de ser “doente”, não “impede” de exigir. Esquece-se, que para além dele, existe mais pessoas a viver no mesmo tecto, esquece-se da idade que tem, das obrigações, responsabilidades e deveres para com estes. Esquece-se, acima de tudo, que não é o centro das atenções! Esquece-se, que não é o único doente!
Com tudo isto, o que quis passar para vocês, para além dos variados motivos, foi também tirar as objecções e contrapartidas, que este rapaz julga ter perante tudo e todos, por ser doente.
Por vezes desistiu da vida, desistiu de si mesmo, eu própria sei disso, tantas e quantas vezes não foi internado de urgência por “estupidez” da parte dele, mas não só.
O que quero dizer, afirmar, é que o Mundo não gira em seu torno e sim, “ele em torno do Mundo”. Assim como este faz com o Sol.
Questiono-me inúmeras vezes, se alguma vez este rapaz irá mudar, se a irmã irá ter “Paz”, se ele irá ter… Pois, a irmã aflige-se de cada vez que ele te uma recaída, ou até mesmo uma ida ao médico de km de distância.
É incrível, a irresponsabilidade do rapaz, por “parte” da própria doença. Ele sofre imenso, mas parece por vezes que gosta, pois falha as consultas, falta aos tratamentos, ignora os concelhos médicos, não toma a medicação certa e como deve ser… Depois, prejudica-se mais ao comer, beber e fazer o que não deve!
Desculpem, provavelmente, já estou a divagar demais, mas também, julgo ser necessário, para que percebam este testemunho.
Não deixem que pessoas com este rapaz desistam, por mais difícil que seja aceitar e conviver com as merdas, (desculpem o vocabulário), que fazem.
Este por exemplo, mete-se em dívidas de valores incalculáveis, exorbitantes, jogos, drogas e fora o resto que nem a própria família nem imagina.
Eu própria fiquei chocada e ainda estou sentida com a situação, pois imagino que não seja nada fácil esta situação para esta família.
Não sei como ajuda-la, apoia-la da melhor forma. E ela, não sabe como fazer em relação ao irmão, aos pais. Pois o que para ela parece melhor, talvez a única opção, para os pais não é. Por vezes, a idade não serve de justificação, ainda mais quando se vive e convive todos os dias com estes, logo terá de ter consciência das decisões que toma e como pretende agir.


Testemunho de Believe

Angustiada


Quero chorar e não consigo,
Quero falar e soluço.
Quero abraça-la, mas não tenho coragem.
Quero dizer-lhe que tudo vai ficar bem, mas não tenho a certeza.
Quero poder ajuda-la e não sei como,
Quero Dizer-lhe o quanto a amo, mas falta-me as palavras.
Quero chegar-me á frente e comandar, mas sinto-me “incapacitada”,
Quero poder dizer, está tudo bem, mas não está.
Quero “bater-lhe”, mas sei que não devo, por respeito!
Quero dizer-lhe o quanto nos magoa, mas não me ouve.
Quero fazer-lhe frente, mas simplesmente ignora-me de imediato.
Quero apenas que ela não sofra, mas se não estou bem, ela também não está.


Nem sempre é fácil de dizermos o que sentimos, que queremos dizer na verdades, porém é chocante quando tudo se torna turvo e nublado. Quando se designa a ser mais uma fase entre outras e se torna tão comum que chega ao ponto de perder a partilha e ignorar-mos o quanto devemos seguir em frente e ter esperança.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

(Continuação)

...Eu de facto, ando mesmo desaparecida, não só para os amigos, mas para mim mesma!
Não tenho tido tema de conversa, muito menos de escrita. Sem inspiração para nada quanto mais para pensar e escrever.
Hoje como tantos outros dias, mas pior, decidi sentar-me enquanto nada faço porque não tenho. Escrever no bloco e dedicar este dia aos meus amigos! Sim, porque eles merecem mais que ninguém, lembram-se de mim, nem que seja para me chamar destrambelhada, desnaturada, distraída por nada lhes dizer e estar tão ausente que até farta, o que não é nada meu...
Pois bem, vou começar... Desde já, digo o mesmo para todos eles, posso não dizer nada, mas estão sempre comigo, no meu coração, no meu pensamento do dia-a-dia. Não há momento em que não me lembre deles, quer acreditem ou não, Nunca se esqueçam disso! Longe, mas Perto!
"Bruxinha", folha da minha árvore, tu...Não tenho palavras para descrever o que és para mim, tantos anos que nos conhecemos, desde a primária, tu és tudo para mim! Tu sabes. Ana, outra folha bastante antiga da minha bela árvore, minha doida Linda, muitas felicidades nesta tua "nova" vida. Badalhocaa, também andas "ausente", tenho tantas saudades, muitas. Maria Amélia, meu Preto Lindo, gosto tanto de ti, como adoro aranhas, centupeias...Ahahah , estou a brincar, mas a dizer a verdade ao mesmo tempo. Adoro-te muito meu sacana e tenho saudades das nossas aventuras, bezanas... Colega e Biguinhas, temos de combinar algo previligiado, apenas nosso, como sempre :P, Rui, meu caro colega e recente Professor, tenho vontade e muita de repetir os nossos passeios, as idas ao cinema, com o resto da canalha, (Nelson, Inês, Ana....), Martinha, minha MA, desculpa ter-te desiludido, desculpa não ter ido ao teu encontro...Mas sabes porquê. Desculpa! Pipocas, minha Filipa, espero ver-te brevemente, antes do grande momento, dia, em Setembro. Nem imaginas o quanto estou ansiosa pelo crepe :P ehehhe, Kenny Maria, quando me voltas a "Untar"?! Ahahahh bejocas
Perdida, a minha primeira "seguidora", Obrigada!
Fofo, obrigada pela companhia que me tens dado e atribuído. Beijo Beijo, Free, minha doida, já tenho saudades, ainda continuas na Jamaica, espero que te divirtas bastante. Celina, minha louca, quando voltas? Como vão as Vaquinhas Espanholas? Lov' You. Mário, meu Brother, meu Boss, tanto tempo, tenho de ir aí melgar-te, adoro-te muito.Mjjj, a minha colega predilecta, a mais fofa que tive até hoje, Um amor de pessoa, principalmente quando acorda, tal como a Nela, ambas com um mau despertar e eu que as ature.Adoro-vos tantoo***. Diogo, meu amor, meu penico voador, tantas saudades dos belos momentos, brincadeiras loucas e bizarras durante o trabalho, que tripla, beijoca*. Nats, a minha outra metade, odeio-teee, eheheh minha louca favorita***. Vânia, minha bêbeda tonta, vasquinho, temos de combinar uma jogada daquelas e é para ganhar! Vocês são tantos e adoro-vos a todos, meus queridos seguidores, a vós um muito Obrigado, por manterem este blog...Pelas vossas palavras e companhia, acima de tudo.
Não leves a mal o teu nome não conter da "lista", não foi porque me esqueci, mas apenas porque assim não sairia daqui e amanha é outro dia....Ahahaahh estou a brincar.
Mas como disse que este dia seria dedicado aos amigos, aqui vai:

Amigo, é aquele que está lá quando mais precisamos.
Amigo, é aquele que sabe quando mais necessitamos,
Amigo, é aquele que deixa a lágrima escorrer e limpa.
Amigo, é aquele que ouve, mesmo não estando bem.
Amigo, é aquele que faz tudo por ti.
Amigo, é aquele que é capaz de "matar" uma barata enquanto te ris.
Amigo, é aquele que diz não vás, quando te queres ir!
Amigo, é algo inexplicável, é algo fora do comum, nos dias de hoje!
Amigo, é uma pessoa excepcional.
Amigo, é tudo para mim...
Amigo, és tu e mais "nenhum".
Amigo, é aquele que dá sem receber.
Amigo, é aquele que espera e não pede satisfação.
Amigo, é isto e muito mais.
É algo que só nós mesmo sabemos!
Amigo, pode ser uma viagem ao Mundo, ou uma simples ida de carro de 5minutos.
Amigo, é como uma "nódoa", não sai.
Amigo, tem muito que se diga!

PS: Desculpem os erros, foi passado muito rápido, sorry :P

quarta-feira, 17 de junho de 2009

(Continuação - Livro)

... (Isto, quando ainda não tinha terminado... )
Ainda não terminei de ler o adorado livro que vos disse e já estou totalmente revoltada, como é possível, a vida tomar tal rumo. Falta-me precisamente uma só página para o terminar. Fiquei, tão triste, desiludida, desgostosa com a tragédia final, pois não esperava um final assim e de uma outra forma... Talvez tenha sido melhor, ou não. O que é certo, é que este final não servirá para mim... Para ti!

Após ter lido o bendito livro, peguei no meu bloco de notas e tirei alguns apontamentos, como costumo fazer com tudo o que goste ou não. E, verdade seja dita, até escrevi um texto a opinar sobre o livro, o conteúdo... Mas, quando o li e pensei em reescreve-lo para o blog, disse para mim mesma que não seria correcto, justo dar a minha opinião para vós leitores, que ainda não conhecem a história, ou seja, vou deixar suspense, para que se entregarem nesta "aventura". Quem me dizem?!

"Ninguém dá início a uma guerra - ou melhor ninguém no seu juízo perfeito deve fazê-lo - sem que antes esteja claro na sua mente o que pretende alcançar através dessa guerra e como pretende conduzi-la."

"Tu, se fosses sensata,
Quando te digo que as estrelas enviam sinais,
Todos eles terríveis,
Não te voltarias para me responder
"A noite é maravilhosa!" "

sábado, 13 de junho de 2009

Bem, Como devem ter reparado, tenho andado muito ausente, isto para quem postava quase todos os dias, peço desculpa a todos os que acompanham este blog. De qualquer forma, hoje estou sem inspiração e extremamente cansada, de rastos. Mas tenho algo a dizer, estou a ler um livro, Um Bestseller Internacional, cujo a autora é Jodi Picoult, e o título é "Para a minha irmã".
Um livro bastante interessante, que se poderá aprender e apreender bastante com este. Quem tiver oportunidade de lê-lo, deveria fazê-lo. Pois, para além de ser um excelente livro, em que a temática abrange uma área importante hoje em dia, não quero divagar, muito menos rematar aqui pontos que o próprio livro debate, apenas quero deixar claro, que este merece ser lido!
Talvez por estar a passar uma situação semelhante, desde a alguns anos, mas mesmo assim... Não sei, ainda não o terminei e estou desejosa de lá chegar.
Entretanto, mais uma vez, peço desculpa pela completa ausência da minha parte. Até breve***

terça-feira, 9 de junho de 2009

Sofrimento




“Para quê tanto sofrimento, se tudo se resume a uma só “coisa”, a Morte!
Para quê tanto desgosto, tanta tristeza, angústia…
Porquê que existe tanto ódio? Porque não Amor?
Para que serve tanta maldade em vez de bondade?
Compreendo que se lute pelos nossos direitos, ideais, os nossos objectivos, interesses a alcançar…
Mas não compreendo, não entendo, não percebo e nem quero compreender, entender, quanto mais perceber e saber…
O porquê de tanto ódio, raiva, maldade, sofrimento?!?
Porquê que existe a doença e não a cura?!
Se tenho de sofrer…Prefiro muito sinceramente, a Morte!
Se tenho de me magoar, ou a outros, se tenho de “dar” trabalho, se empato e tudo isto pelo obstinado sofrimento, por favor, leva-me!
Ou leva a que sofra demasiado e nada há a fazer.
Eu, sou quem sou! Não sou Deus, Rainha, Princesa, divina…Quanto mais poderosa.
Sou eu mesma, não tenho o direito de tirar a vida a ninguém, isso é verdade. E concordo plenamente, mas para sofrer… Se posso evitar tal “coisa” com umas simples “picada”!!!
Sim, eu sei, posso estar a ser egoísta, cruel, rancorosa, má e talvez egocêntrica… Mas eu não acho! Ninguém merece sofrer, mesmo sendo “má” ou não tão boa pessoa!
Cada um escolhe o seu caminho, nisso acredito eu, acredito que existe apenas uma estrada com dois sentidos. Resta apenas, saber que rumo correcto a “tomar”… O da esquerda ou o da direita.
Eu sei que já sofri muito nesta vida e continuarei a sofrer. Acredito, ou melhor, não quero acreditar, mas acho que até ao final dos meus dias irei sofrer. Contudo, tenho esperança que as alegrias esmoreçam, arrebata o sofrimento.
Isto, porque sei que existe muito boa gente que sofre muito mais que eu, que durante toda a sua vida sofreu. E, só o facto, de saber, ver, presenciar tal facto, faz-me mais feliz… (Atenção, não que isto se diga ou se deva dizer. E não que sou propriamente feliz neste sentido, mas faz-me ver que não tenho o direito de julgar o porquê de estar "assim" ou "assado", por estar "simplesmente" mal).
Mas também, mais infeliz, sofrida, por saber que outrem sofre e nada posso fazer. Ou posso? Mas não faço, não ajo… Porque não sei!
Incompetência da minha parte, “medo” por não ser da forma correcta ou por tentativas negadas e frustradas, receio de criar falsas expectativas … Não sei.
Já perdi familiares, amigos, animais, a escola, jogos, competições, tanta coisa que foi importante para mim e será sempre.
Mas, o que me custou mais perder mesmo, foi o facto de perder um amigo como tu e estar prestes a perder outro…
Sim, não é humano e daí?!
Por vezes, os animais valem e significam muito mais que as próprias pessoas.
Não estou a chorar, mas já chorei… Fez-me bem, porque há muito que não chorava, apesar da ocasião, desabafei!
Mas também sei, que se tu fores embora, ficarás sempre na minha memória, mesmo com essa fúria toda que te caracteriza para terceiros, mas amigo, meigo e defensor para mim.
Prefiro que vás a sofreres, como tens sofrido nestes últimos dias. Custa-me ver-te assim, magoa-me tentar, querer ajudar-te e tu não quereres, não deixas. Custa-me!
Agora diz-me, explica-me! Para quê tanto sofrimento na “merda” desta vida?! Ou será bela vida?!

domingo, 7 de junho de 2009


Acabei de ver um Filme na TV que de facto me fez sentir especial ou pelo contrário inútil. E pondero ficar-me pela última no que "toca".
Fascinante como nós Humanos facilmente criticamos, arranjamos "brigas", discussões, Lutamos por algo "estúpido", na maioria, não dispensamos a tecnologia, bens materiais, entre outros, como actos racionais...
Pois bem, por mais que digam não ser racistas, (como eu), julgo que o somos "sempre", por pouco que seja. Quando vemos alguém suspeito, seja mendigo, toxicodependente, cigano... E isto, já está a ser um acto, pensamento racista.
Somos diferentes sim, culturas, maneiras de pensar, Socioeconómicos, julgar, "raças", religiões, Países, etc... Mas isso não nos impede de sermos todos iguais!
Nascemos da mesma forma, todos somos Humanos, todos temos o mesmo objectivo, todos temos algo em comum, quer queiramos ou não!


Actos raciais todos os dias acontecem,
Guerras, loucuras macabras, discussões loucas,
Sempre se ouviu e ouvir-se-á.
Infelizmente é a vida, o Mundo.
Quem me dera que diferente, como a muitos.
Mas nada fazemos, ou pouco,
Se servirá ou não,
Só o tempo o dirá.
Um afro é julgado por ser Preto, pela escravidão essencialmente.
Um Judeu pelo seu passado, por Nazistas.
Um Asiático pela sua forma de pensar, agir e o poder que julga ter ou tem.
Um cubano pela sua "cultura" da Terra,
Um Branco sempre será Branco...
Digam-me!
Digam-me, isto está, é correcto?

Penso muitas vezes, o porquê,

a verdadeira razão porque nos comportamos de tal forma!

É um acto egoísta quando só pensamos em nós,

Quando julgamos que sofremos muito,

Mas na verdade, existe alguém algures, a sofrer muito mais que nós,

Ou já sofreu...

...

Sim, fiquei revoltada, mas ao mesmo tempo contente por saber que existem pessoas que ainda se importam com os outros, estão disponíveis a ajudar, mesmo que isso implique a sua própria vida, a sua felicidade.
E para mim, para além da amizade, confiança e fidelidade, não existe nada mais importante que um bom acto de Bondade, Amor, Carisma...(claro que existem outros mais importantes, mas varia de pessoa para pessoa).

Contudo, acredito que possamos melhorar ou não, mas espero e fico-me pela primeira opção!





terça-feira, 2 de junho de 2009

Tristeza



"O sol do Outono, as folhas a cair,


A minha voz baixinho soluçando,


Os meus olhos, em lágrimas,


Beijando a terra,


E o meu espírito a sorrir...




Eis como a minha vida vai passando,


Em frente ao seu fantasma... E fico a ouvir.


Silêncios da minha alma e o ressurgir,


De mortos que me foram sepultando...




E fico muda, estática, parada,


E quase sem sentidos, mergulhando


Na minha viva e funda intimidade...




Só a longínqua estrela em mim actua...


Sou rocha harmoniosa á luz da lua,


Petrificada esfinge de saudade... "

Almas


Almas corrompidas pelo tempo.
Tempo de interesses e conveniência.
Onde a compaixão levada pelo vento,
Foi enfraquecida por nossa negligência.
Global e financeiro é os termos do momento.
É mundial esse actual desespero,
De correr atrás do virtual fomento
Enquanto corações sofrem com a falta de zelo.
Não abandonemos o nosso tesouro.
Peitos repletos do verdadeiro amor.
Pois este conduzirá o nosso ouro,
Aos que têm a ganância como dissabor.
Transformemo-nos em lanternas de Deus.
Nos obscuros caminhos que viemos a tomar.
Assim conduziremos muitos conosco,
Ao real sentido do verdadeiro Amar!

domingo, 31 de maio de 2009

Estrela


Estrela,
Todos nós a podemos ser,
Estrela cadente,
estrela luminosa.


Estrela,
Tudo pode ilustrar tal luz,
conter tal iluminação.


Estrela,
Tudo pode ser estrela!
Basta ter vida,
basta mostrar o óbvio ou não óbvio.


Estrela,
Estrela pop,
estrela incandescente.
Tudo remete ao seu brilho exterior.

Mas na verdade,
o que mais sobressaí,
é o seu brilho interior.
O seu replandecente,
a sua iluminação.
O mais importante mesmo é o que contém, o seu conteúdo!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Transfusão


A mais perfeita atmosfera,

São borboletas nas minhas artérias,

A tua presença alimentar a minha matéria,

A tua força a mim carrega...




Os meus desejos muito mais que insanos,

Se dedicar-te o meu corpo profano,

Para que a tua quitessência a ele se somando,

Purifique o meu corpo agora sob o meu comando.




Devoto-te não só as minhas palavras impuras,

Mas de toda a minha alma tomada de injúria.

Para que as minhas artérias antes sujas,

Sejam preenchidas pela tua ternura.




Agora morro por ti.

Presenteio-te com o meu coração,

Para a certeza de que o amor sorri.

A um casal unido com tal razão.

Metal



Em roda metalizada me vejo,

Suspensão térrea desejo ter!

Em tudo o que me sento, deito, piso... Sinto ferro!

Metal dentro de mim corre,

minhas veias são socorridas por pedaços de ferro.

Transfusões são feitas com o auxilio de rodapés.

As artérias incham manifestando-se entre si,

Ferroadas sinto como que pancadas.

Mazelas tenho pronunciadas pelos vapores.


Interrupções são feitas a instantes de terminar,

Porem, existe novos contactos entre máquinas.

Flashadas vejo em meu redor,

estão a comunicar, cada uma da sua forma.

Códigos tento decifrar, por mais complexos que pareçam,

Mas uma semelhança, um conhecimento me chega por instantes.

São toques, são ruídos, são os motores, vibrações...Negativas!


Anseio sair o mais rápido possível,

Dou por mim a tentar descobrir tal saída,

Por mais complicada que pareça...

Os amortecedores falham por momentos,

Será falta de óleo...Não sei!

Não desisto, Não!

Como máquina que descobri ser!

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Lutar***


Lutar!

Por vezes ainda gostava mesmo de saber o verdadeiro significado de tal palavra! Sério! Porque na realidade deixa-me indignada o termo, o uso que dão a tal palavra, que se diz tão excepcional, digna de honra, sabores e dissabores provincianos ou até mesmo promíscuos.
Para que serve lutar, se tudo nos tentam tirar,
Por vezes, tanto adorava não ter desistido de mim tão facilmente,
Por mais difícil que fosse, por mais assombroso que demonstra-se ser.
É-me bastante critico, difícil aceitar a maioria das coisas, tais como desistir, tais como lutar para ser derrubada!
É-me complicado compreender situação por mais caricata que seja, mesmo passando pelo meramente impossível ou o extremamente obsceno.
Para quê dar uso de tais palavras, entre outras se não fazem caso do significado delas, se não fazem uso delas, se não nos deixam aproveita-las com ou sem o seu encanto natural ou artificial. Porque se dizem capazes de tanto, "promessas milagrosas", frases enriquecidas, tabus a desmoronar, enchentes isto e daquilo...
Porquê? Para quê? Qual o dilema de tudo isto?
Vocês sabem? Eu sinceramente não sei! Não que me faça de inculta, parva, burra, egocêntrica... Mas não sei mesmo, não entendo, não percebo e não sei se quero entender, perceber a realidade de tudo isso, isto...
Pois, julgo que se o souber, mais desanimada fico, mais desiludida, enraivecida e estupidamente enfraquecida de maneira a não ser capaz de agir, seguir em frente!
E não quero isso, não queremos isso.
Nós queremos lutar, lutar pela causa justa, por algo sincero e esperemos ponderar o correcto a obter. Desejamos mais e mais.
Será o suficiente para não desistirmos?!
Por favor, digam-me que vale a pena lutar por aquilo em que acreditamos, digam-me que vale o esforço, digam-me que é justo se acreditar-mos, digam-me da vossa justiça. Seja ela qual for. Seja ela qual for a resposta, opinião, Digam-me por favor!
Pois eu não quero desistir, não quero desistir do que acho meramente justo, naquilo em que acredito, na esperança que ainda me resta. Não quero desistir de vocês de tudo o que nos rodeia. Mas acima de tudo... Não quero desistir de mim!
Isto se já não desisti há muito...
Por muito que nos custe, por mais que nos magoe, a vida é assim mesmo, a vida continua! Acreditam nisto?!
Se querem que vos diga, não sou muito dessa opinião, não concordo no total, muito menos aceito-a de boa vontade!
Acredito sim, que a vida por vezes é aquilo que somos, aquilo que escolhemos, aquilo que acreditamos, aquilo que seguimos.
Acredito que somos, consoante a estrada que decidimos ultrapassar, seguir caminho, por mais curvas que tenha ou não. Por mais etapas que enfrentemos ou não.
Acredito que cada um de nós é aquilo que acredita, aquilo que decide ser. Atenção, quando digo isto refiro-me ao eu, pessoal e personalidade e não "profissionalmente". Pois ai cabe-nos lutar! Lutar por aquilo que queremos, aquilo que desejamos ou não.
Não desistam, vocês são capazes por mais derrotados que possam parecer, por mais desiludidos que pareçam. Não desistam de vocês mesmos!!!
Falar é fácil, no que remete aos outros, difícil é fazer, falar para nós mesmos.
"Dizer, eu não desisto, eu vou lutar!"
Sim, verdade, eu não quero desistir.
Mas será que já não desisti? Será que já não desisti de mim mesma?
Não sei...
Ainda vou/estou a descobrir!

domingo, 24 de maio de 2009

Simplesmente... ADORO!


Adoro a minha solidão, o facto de poder estar só, pensar e repensar...Mas também adoro estar acompanhada e poder usufruir da companhia dos que mais amo e me são importantes, poder partilhar seja o que for com eles e ir mais além.

Adoro a adrenalina do radical e o meramente "impossível", mas também adoro o pacifico e sereno.

Adoro sonhar com tudo, mesmo sendo impossível de todo, Porém sei que sonhar não é tudo.

Adoro fazer certas coisas que provavelmente serão impróprias, tais como ser demasiado rebelde, mas também adoro a maresia, a calmaria.

Adoro ler um bom livro em cima dum telhado ou até mesmo duma árvore.

Adoro ouvir aquela/as música/as que fazem-me lembrar algo, ou até mesmo sonhar.

Adoro quando tudo parece perfeito, quando tudo parece transformar-se e entro numa de Zen.

Adoro escrever, especialmente quando me sinto deslocada do meu próprio Mundo, mas também adoro ser realista ao ponto de escrever um bom artigo.

Adoro passear pela praia, correr com o Patadas até este se fartar, ou eu :P, mas também adoro sentir o cheiro a mar, areia e ter o privilegio de poder observar a beldade de toda a sua "extensão".

Adoro o momento em que sonho e penso/julgo tornar tudo possível e realidade, ate mesmo o infinito, mas também adoro poder usufruir o facto de poder sonhar e não me impedirem.

Adoro os momentos passados num belo spot nas mais belas companhias, mesmo sendo o trio Maravilha, O Bando das Aves Raras (ambos já lá vão), ou até mesmo o trio "Odemira", (que tenha vindo para ficar).

Adoro por vezes o assimilar de todos os artefactos que estão em meu redor, por mais distraída que possa ser...

Adoro isto e aquilo, por mais estranho que possa parecer, ser...

Adoro repartir até mesmo a coisa mais insignificante para muitos, mas mais importante para mim.

Adoro sonhar, adoro rir, adoro curtir, adoro ser rebelde, adoro ser diferente, adoro ser única, adoro os meus amigos, adoro tudo o que tenho, adoro as minhas qualidades, até mesmo os "defeitos", adoro fazer desporto, adoro... Adoro muita coisa, adoro ser eu mesma, até mesmo naqueles dias. Adoro, (só não adoro magoar os que mais amo e por vezes ser sincera demais ao ponto de ferir). Mas adoro que sejamos nós mesmos!

Adoro poder dizer, adoro, adorei.

Adoro, porque simplesmente ADORO!

terça-feira, 19 de maio de 2009

Sentada


Fico sentada á espera que venhas ter comigo,


Fico sentada na esperança que me encontres,


Fico sentada a lembrar boas memórias,


Fico sentada com vontade de algo mais.




Fico sentada na ansia de chegares,


Fico sentada vendo e observando a tristeza que existe em mim.


Fico sentada sentido algo inevitável, como quem vê o pormenor,


Fico sentada observando.




Sentada me canso de esperar,


Sentada aprendo muito e nada.


Sentada muito digo e nada fica,


Sentada me angustio e nada faço.




Sentada faço muita coisa, nem imaginam o quê.


Sentada, deitada, de pé, curvada...


Sentada escrevo, penso, como, leio...


Sentada...Sentada desespero...


Sentada acontece tudo e nada ao mesmo tempo...


***




segunda-feira, 18 de maio de 2009

Irrita-me


Irrita-me...

Irrito-me com alguma frequência por vezes, não só pelas razões que supostamente julgam, mas provavelmente por outra que também possam desconhecer. E se vos irrita, a mim, ainda mais me irrita. Pois na maioria das vezes irrita-me até ao ponto de de me irritar por ser assim!

Irrita-me profundamente quando o telemóvel toca, vou para atender e desligam-me na cara, ainda por cima anónimo...
Irrita-me atender chamadas, de "pessoas" que temem em esconder algo, com o anonimato!

Irrita-me que passem por mim com um sorriso cínico, de se ponderar.
Irrita-me, que tu ou alguém não tenham coragem para enfrentarem-me.
Irrita-me que possam ter coragem para agir e falar mal nas costas, porém na frente demonstram uma outra coisa. Cobardes!
Irrita-me que possas vir falar comigo no MSN e frente a frente ignoras-me totalmente.

Irrita-me que alguém/muitos "cusquem" o que é meu e mais uma vez, comentam sobre o anonimato.
Irrita-me ver a estupora da Gata do meu irmão vaguear pelo meu quarto, depois de tanto mimo "apanhar", dispõe-se a cagar, mijar e expulsar toda a minha roupa do guarda-fato.

Irrita-me quando grito com os que mais amo, por vezes sem razão.
Irrita-me ser contrariada, quando acho e tenho a certeza do que digo ou faço.
Irrita-me estar saturada de algo e não poder descarta-lo simplesmente.
Irrita-me querer dizer o que sinto(por directa que seja, nem sempre é possível), mas por razões não o faço, opto por ficar rancorosa comigo a magoar tal pessoa.
Irrita-me os desafios em si, entre políticos chanfrados e absurdos.
Irrita-me existir tanto tabu hoje em dia, acerca de vários temas, tanto se falar e nada fazerem.

Irrita-me o facto de poder haver tanta hipocrisia no Mundo, "fingirem" ajudar os mais necessitados e não agirem segundo devem!
Irrita-me querer sair á rua como me sinto mais á vontade e todos olham, como se fosse uma vagabunda, ou até mesmo uma mendiga.
Irrita-me, tentar disfarçar ao máximo e mesmo assim estar a ser seguida...
Irrita-me tanta coisa que nem imaginam. Mas também me irrita, o facto de vós serem como são, terem carácter, dizerem-se capazes de...Mas ficam calados perante algo, como uma briga, como uma acusação, como algo grave!

Irrita-me haver, existir neste Pequeno Mundo, pessoal como vocês, mas não me irrita, o facto de poder ter esperança e fé que existe seres melhores que nós mesmos!
Irrita-me apetecer um doce desalmadamente e não o ter em casa.
Irrita-me querer peixe e ser carne, irrita-me ser X e adoraria se Y.
Irrita-me Praticar "Voleibol" e querer praticar Boxe.
Irrita-me que me julguem como imaginam e não me dão oportunidade de mostrar o que valho e sou!
Irrita-me, irrita-me!

Irrita-me ter um carro e não uma moto. Irrita-me querer competir e fazer corridas e não me deixarem.
Irrita-me ter Licenciatura, Doutoramento e de nada "servir" neste fim de Mundo!
Irrita-me afeiçoar aos animais e depois esses terem que ir embora, ou simplesmente desaparecem, ou melhor, aparecem mortos.
Irrita-me dizerem que temos pouca água, quando existe milhares a gastarem-na inutilmente.

Irrita-me que o Papy ainda ache que sou uma miúda, quando na verdade eu é que o deparo com a realidade.
Irrita-me que nós jovens, adultos, pessoas, seres Humanos...Nos deixem fazer o que querem de nós, que nos digam que é assim e não assado!
Irrita-me!Irrita-me!
Irrita-me estar fora de mim...Irrita-me!

Irrita-me tanto...

Irrita-me, estar Como hoje!

Irrita-me simplesmente!



Mas na verdade, o que irrita tem o seu sabor!